Como funciona a Jornada de trabalho intermitente?

Como funciona a Jornada de trabalho intermitente?

As Leis do Trabalho no Brasil foram protocoladas no ano de 1943, passando desde então por várias transformações, antes do período da ditadura e após 1987, quando juntamente da Reabertura Democrática, a Reforma Trabalhista foi implantada.

Recentemente nos tivemos a legalização do trabalho intermitente. Vamos te explicar ao longo deste artigo como funciona a jornada de trabalho intermitente e quais os benefícios dessa relação trabalhista.

O que é o trabalho intermitente?

O conceito de trabalho intermitente está previsto em lei, de acordo com o artigo 443 da CLT, no terceiro parágrafo, que contém o seguinte trecho:

“ Considera-se como trabalho intermitente o contrato de trabalho no qual a prestação de serviços, com subordinação não é continua ocorrendo com alternância de períodos de prestação de serviços e inatividade, determinados em horas, dias ou meses, independentemente do tipo de atividade do empregado e do empregador, exceto para os aeronautas, regidos por legislação prévia”.

O regime de trabalho intermitente é um modelo de contrato trabalhista no qual o colaborador tem a possibilidade de realizar atividades de maneira esporádica, com intervalos de trabalho intercalados com período de inatividade.

Carga horária do trabalho intermitente

Desde que tivemos a criação do regime de trabalho intermitente, uma das maiores mudanças, condiz em relação as horas trabalhadas pelo colaborador.

Antigamente segundo a legislação brasileira, a exigência era de pelo menos 30 horas semanais. Contudo com a nova legislação, agora não existe um limite para trabalho no regime de trabalho intermitente, dando assim mais liberdade para que o prestador e tomador de serviço tomem decisões referentes ao tempo do trabalho e valores.

Forma de pagamento ao trabalhador intermitente

É importante saber como será feito o pagamento do trabalhador intermitente. A empresa precisará pagar o seu colaborador imediatamente, sendo que o pagamento deve incluir outros benefícios além dos horários de trabalho. Confira:

  • Férias proporcionais com o acréscimo de até um terço;
  • Repouso semanal remunerado, que corresponde ao domingo ou ao dia de folga;
  • Se for o caso, cobrir os adicionais de insalubridade e periculosidade;

Muitos trabalhadores intermitentes não sabem, mas eles têm direito ao décimo terceiro salário. No caso de haver uma rescisão de contrato, o funcionário terá direito ao décimo terceiro salário referente ao período de trabalho.

Junto de seu pagamento, o colaborador irá receber um recibo, onde estarão discriminados todos os valores relativos à sua remuneração.

Maiores benefícios do contrato intermitente

Ao contrário do que muitos pensam, o trabalhador intermitente tem direito a diversos benefícios laborais. Muitos deles estão inclusos no regime CLT. Desde a Reforma Trabalhista, tivemos uma popularização do trabalho intermitente a âmbito nacional, por conta da sua flexibilidade.

Dentro os benefícios que estão previstos na regulamentação, está o direito ao recebimento do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço, devendo este ser depositado na Caixa Econômica Federal, no qual conste o nome do beneficiário.

O trabalhador intermitente tem direito de ser representado pelos sindicatos de sua categoria. O sindicato poderá o representar em situações jurídicas, caso seja necessário.

Impactos do regime para contratações

Com a Reforma Trabalhista, passamos a ter o Instituto do Trabalho Intermitente. Esse novo modelo de contratação foi criado para permitir um regime de trabalho flexível, aumentando assim a admissão formal.

Mesmo com a regulamentação, o trabalho intermitente conta com uma série de benefícios. Desde já, contribui para a geração de empregos no Brasil.

O contrato intermitente é muito benéfico principalmente quando o empregador precisa substituir um profissional por um tempo indeterminado. O contrato intermitente é positivo em diversas situações, sendo recomendado em um país com tantas burocracias como o Brasil.

Como escolher quais produtos vender em sua loja

Escolher produtos

Saber como escolher quais produtos vender em sua loja não é uma tarefa fácil, já que na maioria das vezes são tantas opções que acabam dificultando a escolha. Provavelmente, você também já passou por uma indecisão no momento de compra, não é mesmo?

Não saber o que escolher para vender na loja virtual ou física é um problema comum que atinge a maioria dos lojistas. E isso pode comprometer todas as áreas da empresa, especialmente o setor de finanças

Fazer a escolha sobre quais produtos vender é um processo que precisa de análise geral sobre o seu negócio, necessidades dos seus clientes e comportamento do mercado.

Além disso, a variedade em produtos precisa ser diversificada e bem planejada com produtos que tenham saída para que o seu negócio seja rentável.

Se você chegou até aqui é porque tem dificuldade para encontrar um produto ideal para vender na sua loja, por isso vamos mostrar algumas maneiras que vão ajudá-lo a encontrar.

6 dicas para escolher quais produtos vender em sua loja

loja

As dicas abaixo são métodos que devem ser aplicados quando você estiver procurando produtos para vender na sua loja virtual ou física.

Um detalhe importante é a estabilidade de sua loja virtual. Por isso, antes mesmo de começar tenha certeza sobre qual plataforma criar sua loja virtual. Em alguns casos, você precisará aprender programação para estender as funcionalidades existentes e você precisará de um curso como o da Danki Code.

Observe os seus hobbies

Se você está na fase inicial e não faz ideia do que vender na internet, comece primeiramente observando alguns dos seus hobbies. Pode ser que você tenha algum hobbie que possa transformar em um negócio rentável.

Seria ótimo para você trabalhar com aquilo que gosta e que entende. Os seus hobbies podem ser, música, decoração, artesanato e entre outros.

Faça uma lista das coisas que você gosta e observe se algum pode virar um negócio.

Principais segmentos do comércio eletrônico

Dentro da sua lista de hobbies provavelmente você vai achar algo interessante para fazer um negócio.

Agora observe os nichos que mais vendem na comércio eletrônico brasileiro.

  1. Celular/telefonia,
  2. Eletrodomésticos,
  3. Eletrônicos,
  4. Informática,
  5. Casa e decoração,
  6. Moda e acessório,
  7. Informática,
  8. Saúde, perfumaria e cosmético,
  9. Esporte e lazer,
  10. Acessórios automotivos.

Se nenhum desses nichos não é o seu, não desista e continue investigando outros.

Veja também nosso artigo: Como sua empresa pode vender mais

Procure um micro nicho

Para facilitar a escolha dos produtos deve escolher um micro nicho para atuar, assim você foge da alta concorrência.

O micro nicho é um segmento mais específico dentro de um nicho maior, por exemplo, no ramo da moda você pode se especializar apenas em acessórios e não em roupas.

Outro exemplo, no segmento de móveis você pode se especializar em produtos para home office ou móveis para quartos e não móveis em geral.

Produtos com alta demanda

O produto de alta demanda é aquele que é muito comentado pela as pessoas, possui um bom investimento publicitário e alta procura.

Esse tipo de produto pode ser interessante para o seu negócio por já ter procura por parte das pessoas, assim as chances de vender são maiores.

Produtos com boa margem de lucro

Para ajudar o seu negócio é importante ter uma composição de produtos com boa margem de lucro. Mesmo que esses itens tenham menor saída, eles conseguem manter a receita do seu negócio em dia.

Observe se o produto é escalável

É importante que você identifique se o seu produto escolhido é escalável. De nada adianta ter um produto com alta demanda se você não consegue produzir quantidade suficiente ou se os seus fornecedores não conseguem manter o seu produto em estoque.

Por isso, analise esses dois casos para não prejudicar as vendas do seu negócio.

Conclusão

Saber escolher quais produtos vender em sua loja é algo que demanda tempo já que você precisa encontrar algo que tenha boa saída e ótima margem de lucro para o seu negócio.

Por outro lado, é importante destacar que você não precisar de um grande estoque com produtos variados, tenha apenas em estoque os produtos com maior demanda.

Esperamos que este artigo tenha sido útil pra você. Se gostou do artigo, compartilhe com seus amigos nas redes sociais e também deixe-nos um comentário. Teremos o maior prazer em te responder.

Para que serve uma Ouvidoria na empresa?

Para que serve uma Ouvidoria na empresa?

A maioria das empresas possuem um Canal de Atendimento que visa entender e solucionar as dúvidas dos clientes. Esse Cana de Transparência entre a Empresa e o Cliente é chamado de Ouvidoria.

Para trabalhar neste Setor o Colaborador precisará ter pelo menos 2 qualidades essenciais: Um bom preparo, gostar de conversar e entender muito bem sobre qual produto a sua empresa oferece. Tendo todas elas, seguramente será um profissional muito bem tratado dentro da empresa e bastante elogiado, além de deixar os clientes mais seguros.

Todas as manifestações que são enviadas para a Ouvidoria devem ser analisadas de forma bastante criteriosa, através da Interação, identificando os pontos que precisarão ser melhorados e fazendo as devidas correções. Acompanhe um pouco mais sobre o serviço que as Empresas que tem uma Ouvidoria fornecem:

Liberdade para agir com isenção

Ouvidoria

A todo momento chega uma reclamação na Ouvidoria, sendo que o responsável deverá analisar o problema e evitar tira qualquer conclusão precipitada. Sabemos que dentro do Código de Ética do Marketing, os profissionais desse tipo de atendimento têm total liberdade para fazer perguntas aos consumidores, já que os mesmos estão indo atrás do contato.

Por mais graves que possam ser as reclamações de um cliente, que podem acontecer por alguma falha no atendimento, entrega ou defeito em algum serviço, o cliente também deve entender que o atendente da Ouvidoria apenas está li para realizar um intermeio entre ambos, sendo que a sua função não é de tomada de decisão na empresa. É importante frisar isso pois muitos clientes não entendem esse ponto.

É importante que a Ouvidoria tenha neutralidade e portanto saiba passar boas informações e precisas para o seu atendente, o deixando também mais seguro na linha.

As principais atividades da Ouvidoria

As funções de uma Ouvidoria dentro de uma empresa são muito importantes, até por isso é difícil definir apenas alguma, como o simples contato por telefone. É comum até mesmo ver a pergunta de um consumidor como “A Empresa tem um Canal Oficial que atenda como Ouvidoria?”.

A Ouvidoria busca sempre ser parcial, buscando perguntar e desvendar as verdades sobre o caso. O Atendente é treinado e orientado para buscar a raiz do problema, principalmente para evitar com que as situações relatadas voltem a ocorrer novamente. Por conta disso e outros detalhes que a Ouvidoria deve se manter neutra dentro do contato.

Toda empresa séria precisa ter uma Ouvidoria

A Ouvidoria não pode ter uma imagem de luxo para as empresas, mas sim vista como um Canal de Comunicação oficial para solucionar problemas dentro da empresa. As pequenas e médias empresas podem se influenciar de uma Ouvidoria oficial também, visto que essas pensam que este Canal é apenas para as grandes empresas.

O canal de comunicação direta com a Ouvidoria deve vir juntamente com a instalação de uma Ouvidoria 0800, através de um e-mail direto ou até mesmo no chat do site.

Qual a maior diferença entre uma Ouvidoria e um SAC?

Por mais que muitos pensam que Ouvidoria e SAC tem a mesma função, na prática isso não é bem assim. O SAC recebe as informações e tem até 5 dias para completar e processar todas as informações solicitadas nos Canais de atendimento.

Nem todos os segmentos são obrigados a ter um SAC. A Ouvidoria não pode ser confundida com o SAC, sendo que a principal função dela é atuar na defesa dos direitos dos cidadãos, consumidores e usuários de produtos.

Você já teve algum contato relevante solucionou problemas com a Ouvidoria de uma empresa? Deixe aqui o seu comentário e como foi essa experiência.

Como as empresas cadastram funcionários no PIS?

Como as empresas cadastram funcionários no PIS?

Você possui uma empresa e está precisando cadastrar seu funcionário no PIS? Então você está no lugar certo! Confira nosso artigo e descubra algumas formas de realizar esse procedimento.

Antes de explicarmos como fazer o cadastramento, entenda um pouco mais sobre esse benefício.

O PIS significa Programa de Interação Social. É um programa criado pelo governo para beneficiar os trabalhadores que trabalham no setor privado.

Para que o funcionário receba seu benefício sem nenhum erro ou atraso, é essencial que a empresa responsável realize o cadastramento no Programa.

Veja a seguir, como realizar o cadastramento do funcionário no PIS.

Empresas PIS

Como cadastrar funcionários no PIS

Como mencionado anteriormente, há algumas formas de cadastrar um funcionário no PIS. Confira os detalhes sobre cada forma a seguir.

Conectividade Social, com Certificado Digital ICP

A primeira forma de cadastramento é através do Conectividade Social, mas com Certificado Digital ICP da empresa.

Caso a sua empresa já esteja a cerca dos regimes tributários de Lucro Presumido ou Lucro Real, basta acessar o Conectividade Social e realizar o cadastramento do funcionário.

Para realizar o procedimento, basta clicar na opção “Cadastro NIS” e logo em seguida, clicar em “Incluir Pessoa Natural”.

Preencha os dados do trabalhador que será cadastrado, conforme solicitado e pronto.

Você não possui o Certificado Digital ICP? Então confira o próximo tópico.

Conectividade Social como usuário externo

A segunda forma de cadastro, também é através do Conectividade Social, porém, dessa vez, como um usuário externo. Entenda melhor a seguir.

As empresas que praticarem o regime tributário “Simples Nacional” não são obrigadas a possuírem o Certificado Digital ICP.

Nesses casos, a empresa precisa pedir uma autorização de Usuário Externo para acessar o Conectividade Social.

Para requerer a autorização, é necessário preencher o formulário FICUS/E – Ficha de Cadastramento de Usuário Externo. Após o preenchimento, o responsável pela empresa, deverá protocolar o formulário em uma agência da Caixa Econômica Federal.

Além do formulário, é importante estar com: Uma cópia de identidade e CPF do usuário que irá acessar o sistema da empresa; Uma cópia de procuração, (apenas quando o cadastramento for realizado por um procurador) e Documentos relativos à constituição da empresa e do representante legal.

A Caixa libera o cadastramento ao usuário no prazo máximo de 5 dias úteis.

Após o prazo, o banco dará uma senha de acesso e o empregador ou procurador fará o mesmo procedimento explicado anteriormente para cadastrar um funcionário.

Conectividade Social através de Lote

A terceira forma de cadastro também é feito através do Conectividade Social, porém em lote. Essa opção é utilizada quando há mais de um funcionário para ser cadastrado.

Para realizar este tipo de procedimento, o responsável pela empresa, deverá criar um arquivo no layout padrão da Caixa.

Após a geração do arquivo, o empresário deverá enviá-lo através do Conectividade Social.

Caso não saiba como enviar o arquivo, confira nosso passo a passo a seguir:

  • Acesse o Conectividade Social;
  • Após o login, clique em “Caixa Postal” e em seguida “Nova mensagem”;
  • Agora é só selecionar o serviço que deseja e enviar o arquivo

Caso a empresa possuir Certificado Digital padrão ICP, a opção “Envio de arquivo cadastro NIS” irá aparecer de forma automática.

Porém, se o empregador possuir apenas certificado digital de Pessoa Física, pelo Conectividade Social, deverá criar uma nova declaração para que a opção “Envio de cadastro NIS” fique disponível.

Diretamente em uma agência da Caixa

A última opção de cadastro é direcionado aos empregadores que possuem Pessoa Física ou que utilizem o CEI (Cadastro Específico do INSS) para realizar os recolhimentos de FGTS e INSS.

Para esses casos, os empregadores deverão preencher o formulário DCN – Documento de Cadastramento do NIS.

Após preenchimento, é só comparecer a uma agência da Caixa Econômica Federal, com o DCN e o comprovante de matrícula no CEI.

Como entrar em contato com a Caixa Econômica Federal

Precisa de informações específicas sobre o cadastramento de um funcionário no NIS/PIS? Basta entrar em contato com o banco através dos números:

  • 3004-1104 (São Paulo);
  • 0800 726 0104 (Demais localidades).

E aí o que achou do nosso artigo sobre como uma empresa pode cadastrar seu funcionário no PIS? Nos ajude a ajudar mais pessoas, compartilhe este conteúdo com seus amigos.

Como parcelar a fatura do cartão de crédito caixa?

Como parcelar a fatura do cartão de crédito caixa?

Em muitos casos, as pessoas acabam se empolgando por ter um valor de limite alto e gastam além do que podem. Ao chegar no final do mês ou dia de pagamento da fatura, se vê sem saber o que fazer para pagar a fatura do cartão de crédito, muitas vezes deixando-a atrasar ou em outros casos, tendo que ser obrigada a pegar certa quantia emprestada. A partir daí, é possível que ainda existam pessoas que não saibam que é possível pagar a fatura do cartão de crédito de forma parcelada. E hoje, vamos falar especificamente do parcelamento da fatura do cartão de crédito Caixa.

Se você é uma dessas pessoas que não sabiam que isto é possível ou se você até sabia, mas nunca procurou saber como isso era feito, no artigo de hoje, você poderá saber um pouco mais como funciona e como fazer para parcelar a fatura do cartão de crédito Caixa, como tirar a segunda via do seu cartão de crédito Caixa, ainda poderá conhecer um pouco mais dos serviços que o Internet Banking oferece e diversos outros pontos que valem a pena serem acompanhados. Para saber tudo isso, continue lendo o artigo. Boa leitura!

Passos para parcelar fatura do cartão da Caixa econômica:

Se você deseja parcelar a fatura do cartão de crédito Caixa, saiba que esse não é um processo tão complicado quanto você imagina. No caso do cartão de crédito da Caixa, além de ter a liberdade de poder parcelar a fatura do seu cartão de crédito, em algumas modalidades de cartões, também é possível que você não pague por juros,o que é uma das melhores vantagens de alguns dos cartões de crédito que a Caixa Econômica Federal oferece parcelamento pode ser feito em até 36 vezes sem pagar nada por juros, não é incrível?!

Para que você realize o parcelamento, você deverá seguir alguns passos. Veja:

  • O primeiro passo a ser dado antes de tudo, é você pagar o seu cartão de crédito Caixa;
  • Você deverá olhar na parte de trás do seu cartão e localizar o número de telefone que ele possui;
  • Você irá ligar para esse número e optar pelo número 2;
  • Logo após, será necessário que você informe os dados do seu cartão de crédito e também, algumas das suas informações pessoais;
  • Depois de informar seus dados, você será identificado e a partir daí, poderá ser direcionado a falar com um dos atendentes;
  • A partir daí, basta que você faça a “negociação” do parcelamento da sua fatura, verificando sempre se ela é realmente sem juros, quanto ficará cada uma das parcelas, em quantas parcelas a sua fatura poderá ser dividida, qual será a data de vencimento para o pagamento das parcelas e etc.

Esse processo de parcelamento de fatura dos cartões de crédito Caixa são bastante simples, porém, só é possível de ser feito através do telefone. Mesmo que você vá até uma das agências da Caixa, não conseguirá realizar esse parcelamento e muito menos pelo Internet Banking, pois eles não disponibilizam esse tipo de serviço.

Como ver a fatura do cartão de crédito Caixa?

Consultar a sua fatura dos cartões de crédito da Caixa também é uma tarefa muito simples e nada complicada, isso porque, através do novo app da Caixa, o “Cartões CAIXA”, app esse que pode ser baixado tanto para a versão Android quanto para IOS, é possível que você possa consultar as suas faturas e utilizar de diversos outros serviços. Para que você possa ver a sua fatura sempre que você quiser, basta que você siga o passo a passo:

  • Primeiramente, é necessário que, se você ainda não possui o app Cartões CAIXA baixado aí no seu smartphone, baixe-o;
  • Em seguida, abra o app e faça seu login e se você nunca acessou esse app, crie a sua conta informando os dados solicitados;
  • Em seguida, você logo poderá visualizar a opção “Faturas” e é nela que você deverá clicar;
  • Logo após, serão dados os vencimentos das suas faturas e você deverá escolher qual delas você deseja ver;
  • Se você quiser enviar essa fatura para o seu e-mail, saiba que isso também é possível, selecionando a opção “Enviar Fatura por E-mail” e pronto.

Como tirar segunda via do cartão da Caixa?

Caso você tenha perdido ou seu cartão tenha sido roubado ou se ocorreu outro fato com ele e você está precisando de uma segunda via do seu cartão de crédito Caixa, é possível que você a solicite em um correspondente bancário da Caixa ou em uma de suas agências. Para isso,será necessário que:

  • Você vá até uma das agências da Caixa ou correspondentes bancários mais próximo de você;
  • E faça a solicitação da 2º via do cartão, informando o que ocorreu com o antigo;
  • Será necessário que você possui toda a sua documentação em mãos.

Quais são os serviços disponíveis pela Internet da Caixa

No Internet Banking da Caixa, é possível que você possa ter acesso aos seguintes serviços:

  • Verificação de Saldo;
  • Emissão de Extratos;
  • Realização de Transferências;
  • Realização de Pagamentos;
  • POssibilidade de poder fazer apostas e conferir os resultados da Mega-Sena;
  • Entre muitos outros.

Como solicitar novo cartão Caixa?

Solicitar um novo cartão de crédito da Caixa, seja ele uma 2º via ou uma nova modalidade de cartão também não é complicado, para isso, é necessário que você:

  • Vá até a Agência da Caixa mais próxima de você;
  • Com os seus documentos em mãos, faça a solicitação do seu novo cartão;
  • Preencha os formulários e pronto. Agora é só aguardar a aprovação e a emissão e entrega do seu novo cartão de crédito Caixa.

Atendimento Cartões de Crédito CAIXA

A Central de Atendimento da Caixa, responsável apenas por atender à clientes dos cartões Caixa, atende pelos números 4004 9009, para quem está ligando de capitais e regiões metropolitanas ou 0800 940 9009, para as demais regiões e ainda pelo número (55) 21 3506 0999 para aquelas pessoas que são clientes da Caixa e utilizam seus cartões, mas que estão no exterior. No caso de ligações feitas do exterior, essa ligação deve ser feita a cobrar. Você pode ligar a hora e dia que quiser, pois o atendimento é 24 horas, todos os dias.

Por que é importante vender seu consórcio e colocar o dinheiro numa conta poupança?

vender seu consórcio e colocar o dinheiro numa conta poupança?

Muitos consumidores têm uma conta corrente e geralmente também têm um cartão de débito, mas ainda existem muitas pessoas que não possuem uma conta poupança configurada. 

Por um motivo ou outro, a maioria dos consumidores que abrem uma conta corrente geralmente não abre uma conta poupança ao mesmo tempo, mas realmente deveria, principalmente aqueles que vão vender consórcio.

Para muitas pessoas, pode ser fácil adiar uma discussão sobre a criação de uma conta poupança indefinidamente. De fato, às vezes o assunto pode parecer confuso ou até desconfortável de se pensar. Com o alto custo de vida que muitas pessoas experimentam, às vezes pode ser difícil imaginar a criação de um orçamento familiar que deixe espaço para economia. Mas neste artigo a Consórcio na Web irá te explica porque é importante colocar o dinheiro da sua venda de consórcio numa poupança.

Gastos imprevistos

Você nunca pode reconhecer de antemão quando uma situação urgente ocorrerá. Um aparelho danificado ou um conserto de carro caro podem prejudicar suas finanças. 

Embora você provavelmente tenha organizado sua cobertura de seguro em todas as frentes, quase certamente ainda encontrará essas franquias desagradáveis. 

Um acidente de veículo, uma doença grave ou um incêndio em sua residência pode exigir custos consideráveis. A vida pode prejudicar os orçamentos das pessoas mais disciplinadas financeiramente; no entanto, uma conta poupança quase sempre é capaz de cobrir as lacunas e ajudar a mantê-lo sem dívidas.

Aproveitando as chances

Vender meu consórcio e colocar o dinheiro numa conta poupança permite que você aproveite as possíveis oportunidades monetárias lucrativas. 

Se você encontrar uma oportunidade de negócio rara, mas maravilhosa, talvez não consiga investir nessa oportunidade se não tiver dinheiro suficiente para apresentar. 

Além disso, se você tentar obter crédito no seu banco para qualquer finalidade, uma conta de poupança vigorosa poderá melhorar suas perspectivas de realização. 

Uma conta poupança pode trocar algumas palavras sobre disciplina e estabilidade para um representante de empréstimo.

Segurança Extra

O dinheiro da sua venda de consórcio que você deposita em uma conta poupança é protegido pelo seguro. 

O que significa que, mesmo se seu banco falir e fechar repentinamente, o governo substituirá seus fundos até um certo valor. 

O dinheiro pode ser perdido, destruído ou roubado, mas se você depositar esse mesmo dinheiro em um banco em uma conta poupança, mais ou menos ele estará protegido. Você também pode ganhar algum interesse ao depositar seu dinheiro em uma conta poupança com juros.

Lá quando você precisar

Se você precisar de acesso fácil ao seu dinheiro, uma conta poupança pode oferecer isso. Mantê-lo em casa não é uma boa ideia, pois pode ser perdido ou roubado. Por outro lado, se você colocar todo o seu dinheiro em investimentos como ações e títulos, não terá nenhum quando precisar. 

O dinheiro economizado em uma conta poupança é facilmente acessível. Você pode retirá-lo sempre que precisar. Apenas certifique-se de entender os termos da sua conta poupança. Às vezes, há um número máximo de saques em sua conta poupança todos os meses sem taxa. Se você ultrapassar esse número de saques, poderá receber uma multa.

Financiamento de Emergência

Uma das razões mais importantes para criar um fundo de poupança é ter acesso imediato ao dinheiro que pode ser usado em emergências. 

Por exemplo, se as demissões da empresa ocorrerem onde uma pessoa trabalha, um fundo de poupança pode fornecer adequadamente recursos como pagamentos de financiamento por um longo período de tempo. 

Se ocorrer um desastre natural, um fundo de poupança pode fornecer às pessoas o dinheiro necessário para moradia temporária e outras despesas. Um fundo de poupança é um grande escudo contra os altos e baixos que muitas pessoas experimentam na vida.

Portanto você já sabe, vai vender meu consórcio? Nada de gastar esse dinheiro à toa, coloque ele numa conta poupança.

Salário Maternidade empregadas domésticas: quem faz o pagamento?

Salário Maternidade empregadas domésticas: quem faz o pagamento?

Confira quem realiza o pagamento do benefício para empregadas domésticas.

Você é empregada doméstica, está grávida ou pretende ter um filho? Então leia nosso artigo e conheça todos os seus direitos.

Antes de falarmos especificamente do benefício concedido às empregadas, é importante entender do que se trata. Veja a seguir.

O que é o Salário Maternidade?

O Salário Maternidade, é um benefício pago pelo INSS e concedido a todas as mães trabalhadoras, que tiveram seus bebês através do parto ou adoção e que se enquadrem nos requisitos mínimos.

Como funciona o Salário Maternidade para empregadas domésticas?

Confira a seguir como funciona na prática o Salário Maternidade para empregadas domésticas.

Quem tem direito?

Todas as trabalhadoras domésticas que possuem carteira assinada, tem direito ao benefício. Porém se as mães trabalham sem carteira assinada, terão que contribuir com o INSS para ganhar o auxílio.

Período de Carência

É importante deixar claro que, não há um período de carência para as empregadas domésticas.

Duração do benefício

A duração irá depender de como a mãe teve o bebê. Em casos de parto, adoção, guarda judicial para fins de adoção, natimorto a empregada doméstica recebe 120 dias de licença maternidade.

Porém, em casos de aborto espontâneo, estupro ou risco de vida para a mãe é concedido 14 dias de licença.

Valor do Salário Maternidade

Caso a empregada trabalhe em um lugar fixo com carteira assinada e recebe o mesmo salário todo mês. Ela continuará a receber a mesma quantia.

Porém, caso a empregada doméstica trabalhe em locais diferentes ou não receba a mesma quantia todo mês, é feita uma média dos últimos 6 meses recebidos para determinar o valor do benefício.

Onde e quando pedir o benefício

Confira a seguir como e quando pedir o Salário Maternidade para empregadas domésticas.

Se a mãe terá o bebê através do parto, deverá realizar o pedido 28 dias antes do parto no INSS.

Se o evento gerador for adoção, a mãe deverá requerer ao auxílio no INSS assim que tiver a adoção ou a guarda para fins de adoção.

Em casos de aborto não-criminoso, a mulher deverá solicitar o pedido no INSS assim que ocorrer o aborto.

Documentos de comprovação do pedido

Em casos de parto, a mãe deverá comprovar o pedido com atestado médico, caso decida se afastar 28 dias antes do parto, ou terá que apresentar a certidão de nascimento ou de natimorto.

Para os casos de adoção, a empregada doméstica deverá apresentar o termo de guarda ou certidão nova para realizar o pedido.

Por fim, para casos de aborto não-criminoso, deverá ser apresentado um atestado médico que comprove o ocorrido.

Como realizar a solicitação do benefício

Para realizar o pedido basta seguir o nosso passo a passo.

  • Primeiramente, acesse o Portal Meu INSS;
  • Caso ainda não tenha acesso ao Portal, clique em “Cadastre-se”;
  • Informe seus dados conforme for solicitada;
  • Em seguida, clique em “Não sou um robô” e em “Próximo”;
  • Responda a todas as perguntas conforme for solicitada e de acordo com as informações contidas nos dados do INSS.

Obs: É importante que esta etapa seja realizada corretamente para que não haja problemas futuros.

  • Após o cadastro, você receberá uma senha que deverá ser alterada após acessar pela primeira vez;
  • Após realizar o login, clique em “Meu INSS” e em seguida em “Salário Maternidade”;
  • Insira as informações conforme for solicitada para realizar o pedido.

Atenção. Após finalizar a solicitação, o sistema irá analisar seus dados e o pedido poderá ser aprovado ou negado.

A solicitação pode ser acompanhada através do Portal Meu INSS.

Esse processo é feito exclusivamente através do site. Você só deverá comparecer em uma agência, caso for solicitada pelo órgão.

Entrar em contato com o INSS

Ainda está com alguma dúvida, então entre em contato com o INSS através dos meios de atendimento a seguir.

Telefone

Ligue para o número 135 e fale com um atendente.

O atendimento funciona de segunda à sábado das 7h às 22h.

Site ou aplicativo

É possível também tirar todas as dúvidas através do Portal Meu INSS ou pelo aplicativo Meu INSS. Disponível para Google Play e App Store.

Gostou do nosso conteúdo? Então compartilhe esse artigo com todas as mães empregadas domésticas.

Woop Sicredi telefone: veja como entrar em contato!

Woop Sicredi telefone: veja como entrar em contato!

O nome “Woop” surgiu da interação que buscam o cooperativismo, grande diferencial que o Sicredi está buscando aos seus clientes. Aqui todo mundo pode ter conta, como já diria o slogan da empresa.

O Sicredi já tem mais de 117 anos de história e está sempre inovando, oferecendo mais de 300 produtos e serviços financeiros de acordo com o perfil dos clientes do Banco. E o Woop é mais uma ferramenta que vem agregar para a tecnologia.

A proposta está em aliar a inovação digital e também saber como cooperar, em um trabalho onde todos saíram ganhando.

O Woop foi uma alternativa do Sicredi pensada para atender de forma prática, rápida e segura tudo que os seus clientes precisavam através do celular, sem ter de ir todas as vezes a uma Agência e congestionar o serviço, por mais que o serviço físico seja essencial.

Através do App, você também pode mandar o seu dinheiro para uma agência 24 horas e fazer o que você precisa.

SAC Woop Sicredi

O Sicredi atende suas reclamações ou sugestões pelo 0800 727 7220, sendo essa a Central de Atendimento Oficial aos Clientes do Banco e demais consumidores. Está disponível

Função Eliza e o que muda para os associados

A Eliza é a Assistente Virtual do Sicredi, que reduz em até 46% o tempo dos atendimentos feitos e processados pelo chat. Através do App Woop Sicredi, você pode fazer perguntas para a Assistente Virtual durante todos os dias da semana.

Esta Assistente Virtual pode responder a todo o tipo de solicitação, como a segunda via de sua conta, extratos bancários, negociações de empréstimos e benefícios para os produtores rurais.

Atendimento Telefone

O Atendimento funciona 24 horas por dia, todos os dias da semana. Basta você ligar e desejar a sua solicitação para 0800 877 5454.

App Woop Sicredi

Baixe já o Woop Sicredi App em seu Smartphone, através da loja oficial, e acompanhe tudo que você movimentar em sua conta, seus benefícios e saques. Isso desde qualquer lugar que esteja.

Mídias Sociais

Siga o Sicredi em suas mídias sociais, sabendo de primeira mão todas as novidades e benefícios concedidos aos seus clientes:

Facebook

Twitter

Instagram

E-mail

Envie a sua mensagem para o suporte eletrônico. Em um prazo curto de tempo, você irá obter a sua resposta pelo ola@woopsicredi.com.br

Agências Físicas Sicredi

Sempre que você precisar de um Atendimento do Sicredi, é possível que você contate uma das tantas agencias espalhadas pelo Brasil. Veja a seguir um posto de atendimento do Sicredi de acordo com a sua região:

São Paulo

São Paulo: Av. Paulista, 923, Bela Vista – Telefone: 11 3053-4200

Campinas: Av. Barão de Itapura, 729, Botafogo – Telefone: 19 2514-1434

Rio de Janeiro

Rio de Janeiro: R. Dias da Cruz, 421, Méier – Telefone: 21 3475-2055

Santa Catarina

Florianópolis: Av. Rio Branco, 691, Centro – Telefone: 48 3223-4200

Balneário Camboriú: Av. do Estado, 4910, Estados – Telefone: 47 3263-6800

Lages: R. Vidal Ramos Júnior, 44, Centro – Telefone: 49 3222-5721

Paraná

Curitiba: R. Mal Deodoro, 869, Centro – Telefone: 41 3324-6401

Londrina: Av. Higienópolis, 659, Centro – Telefone: 43 3305-4000

Foz do Iguaçu: Av. Juscelino Kubtschek, 3082, Vila Paraguaia – Telefone: 45 3028-2040

Rio Grande do Sul

Porto Alegre: Av. Protásio Alves, 795, Alto Petrópolis – Telefone: 51 3316-9350

Caxias do Sul: R. Sinimbu, 1299, Loja 3, Nossa Sra. De Lourdes – Telefone: 54 3218-9800

Bento Gonçalves: R. Júlio de Castilhos, 351, Centro – Telefone: 54 3449-9000

Minas Gerais

Belo Horizonte: Av. Brasil, 1492, Funcionários – Telefone: 31 3254-7800

Bahia

Salvador: Av. Tancredo Neves, 620, Caminho das Árvores – Telefone: 71 3173-8500

Distrito Federal

Brasília: Q. 4 BL B, Asa Sul – Telefone: 61 3105-1510

10 dicas para comprar uma casa a um bom preço

imoveis

Comprar um apartamento barato em tempos de crise como o que atualmente mora no mercado imobiliário.

Confira também – Imóveis em Rivieira – Compre agora mesmo o seu imóvel por um ótimo preço

imoveis

1. Certifique-se de que você pode comprar a casa

Parece óbvio, mas não seria a primeira vez que alguém faz uma oferta por uma casa e depois não pode pagar. Portanto, antes de colocar uma oferta em cima da mesa, você deve estar muito certo de que pode pagá-la, o que significa que você tem o dinheiro, que já vendeu sua casa antiga ou que concluiu a hipoteca

2. Será um investimento ou sua casa habitual?

Se a compra for puramente para investimento, eles só terão que pensar em termos de rentabilidade do aluguel (tente alcançar e possível aumento do preço da casa. Além disso, você deve ser agressivo no preço final, sem sentimentalismo. Pelo contrário, se a casa for morar nela por 10 anos ou mais, você pode ser um pouco mais flexível se for a casa dos seus sonhos, embora você deva sempre se perguntar se será capaz de arcar com todas as despesas daquela casa, especialmente se for um grande salto em relação à sua casa anterior

3. Não compre até você ter praticamente vendido sua casa

Até que sua casa seja vendida, você não saberá quanto receberá por isso. Portanto, é melhor não fazer ofertas durante esse período. De fato, alguns agentes imobiliários se recusam a ensinar casas às pessoas nessas circunstâncias. E é que, apesar da queda geral nos preços, ainda há pessoas que não aceitam que sua casa tenha caído de preço, mas estão fazendo ofertas tremendamente descendentes para propriedades que lhes interessam

4. Pese o que deseja da propriedade

O preço é a única coisa que lhe interessa no apartamento? Agora, mais do que nunca, você deve pensar no que lhe interessa em uma casa e escolher. Antes, só era recomendado seguir a regra dos três l (local, local e local), mas agora em uma recessão, falamos dos três pontos (posição, preço e perfeição). As casas que mais caíram não são necessariamente as que têm os melhores preços. Embora sempre haja espaço para negociação, as melhores casas terão perdido menos valor. Portanto, temos que escolher o que queremos (transporte, serviços …)

5. Descubra até onde você pode baixar o preço

A melhor maneira de fazer uma oferta é não fazê-lo. Devemos sugerir que faremos isso, mas daremos algum tempo para deixar o corretor ficar animado. Enquanto isso, descobriremos mais sobre a propriedade e o proprietário da casa que nos interessa. O tempo que você está no mercado, o nível de desespero do vendedor, quantas ofertas você recebeu e quantas rejeitou … você precisa ficar curioso, sem ser rude, para fazer uma oferta ajustada para baixo, que provavelmente será rejeitada, mas e se é realista, pode ser uma pedra de toque para iniciar a negociação

6. Faça sua oferta

É mais provável que você aceite uma oferta se o vendedor já tiver sofrido uma decepção na forma de retirada de compradores interessados ​​ou perto de datas designadas, como o Natal. Também é importante tentar descobrir se o fornecedor está enfrentando datas importantes, como uma mudança de emprego ou precisa se inscrever para uma faculdade ou outro serviço em outro local. Eles também costumam ser mais receptivos se tiverem momentos psicológicos com a casa à venda, por exemplo, um ano.

7. Fique à vontade com o vendedor

Faça uma oferta para o lado negativo, mas esteja preparado para acomodar os prazos do calendário do vendedor, que pode precisar da casa alguns meses antes da entrega. Isso pode proporcionar uma economia significativa, pois economizará um aluguel. Além disso, você deve ser educado e demonstrar sua admiração pelas melhorias que o vendedor fez, mesmo se você disser a ele que precisa incluir na sua oferta um custo de reformas de outras coisas

8. Você deve praticar o gazunder?

No Reino Unido, nenhum contrato é assinado até a redação, portanto algumas pessoas diminuem sua oferta ou barganha no último minuto. Em épocas passadas em que o preço da casa não parava de subir, acontecia o contrário, que os vendedores procuravam o comprador no último momento dizendo que tinham outra oferta mais alta e os expulsaram do contrato se não correspondessem a essa oferta. Aqui estão opiniões para todos os gostos. Enquanto alguns recomendam não fazer isso por ser antiético, outros apontam que a ética nos negócios está no preço e que, se o preço continuar caindo até o contrato, o valor da transação deve ser ajustado

9. Se você pechinchar no último minuto …

Se você decidir retirar sua oferta inicial, certifique-se de ter preparado motivos para justificar essa alteração e dê tempo ao agente para negociar com outras pessoas interessadas na propriedade. Caso contrário, você tem mais do que um cheiro de chantagem e isso pode significar que o vendedor se retira completamente da venda. Esteja preparado para perder propriedades, se for um blefe

10. Esteja pronto para fechar o negócio

Por fim, verifique se realmente deseja seguir em frente e fechar o negócio rapidamente, se houver um entendimento. Tenha tudo à mão e preparado para não atrasar o processo

Como abrir uma empresa nos Estados Unidos

Abrir_Empresa_nos_EUA

Se você deseja estabelecer sua empresa em outro país, compartilho estas 10 etapas para abrir uma empresa nos Estados Unidos.

Realizar o sonho americano foi por muitos anos uma grande inspiração para empresários de todo o mundo. Todos nós, inclusive eu, acreditamos que está chegando e os clientes estão esperando por nós de braços abertos. Sim, é verdade que existem milhões de clientes que precisam de nossos serviços, mas eles esperam que tenhamos um negócio bem estabelecido para atendê-los com a qualidade que eles merecem e, acima de tudo, legalmente.

Abrir_Empresa_nos_EUA

Para começar nos Estados Unidos, como em qualquer país, é necessário conhecer pelo menos os princípios legais mais básicos para reduzir a probabilidade de ter sérios problemas no futuro, o que pode custar muito dinheiro.

Melhor site para a Abertura de empresa nos EUA – Confira agora mesmo

Para isso, você deve proteger a si mesmo, sua família, sua empresa, seus clientes, seus funcionários e até seus fornecedores, cumprindo a lei do local em que se estabelecer.

Abaixo, compartilho 10 etapas básicas para iniciar uma empresa nos Estados Unidos e começar no sonho americano:

Etapas básicas

1) Visto

O primeiro passo para abrir uma empresa nos Estados Unidos é obter um visto para entrar no país. Existem diferentes tipos de vistos, e eles podem ser obtidos através de:

– Turismo

– patrocínio de uma empresa, através da apresentação de um plano de negócios,

– Investimento nos Estados Unidos (geralmente um mínimo de US $ 500.000)

– Empreendedorismo com apresentação de plano de negócios (não há valor fixo de investimento, mas geralmente é entre 50 e 100 mil dólares)

– habilidades extraordinárias do empreendedor que possam ser demonstradas, sendo reconhecidas em um determinado assunto, como arte, esportes, ciência ou negócios.

2) Número do Seguro Social

Quando você chegar aos Estados Unidos, seu visto deverá permitir que você obtenha o número do Seguro Social. O SSN é a sua identificação, através da qual você começa a gerar histórico de crédito nos Estados Unidos, o que é muito importante se você deseja morar lá.

3) Identificação fiscal

Caso você não possa obter o SSN por qualquer motivo, você não tem um visto para trabalhar nos Estados Unidos ou não está pensando em morar lá, pelo menos você deve obter o número de identificação fiscal, EIN ou número de identificação do empregador que o identifique Como entidade pagadora de impostos, sem ela você não pode operar nos Estados Unidos. É o primeiro passo para iniciar um negócio.

4) Incorporação

Com a identificação fiscal, você já pode iniciar o processo para abrir sua empresa. Você pode fazer isso com um advogado ou contador ou diretamente on-line, em menos de 48 horas desde o início do processo, você tem a confirmação da incorporação. Existem diferentes tipos de empresas: Único proprietário, LLC, C corp, S corp. Todos eles têm benefícios e limitações. Você deve escolher o mais adequado de acordo com seu tipo de residência nos Estados Unidos, o número de parceiros, o tipo de parceiros e o tipo de produto que você vende. O mais recomendável é que você consulte um especialista nesse assunto para ajudá-lo a escolher a melhor opção ”. 

O proprietário da La Sole é o mais simples, para profissionais ou técnicos independentes, mas eles não protegem seus ativos caso haja alguma disputa. Os mais comuns que protegem seus bens pessoais são a LLC (Limited Liability Corporation) e a S Corp. Você pode abrir a LLC mesmo que não seja um residente, mas para o S corp, você deve ser um residente do ponto de vista tributário dos Estados Unidos (mais de 183 dias no país). O custo de abertura depende do estado em que você define para instalá-lo. Geralmente, é uma boa ideia instalá-lo no estado em que você vive. 

5) Conta bancária

Depois de criar uma empresa, você deve abrir uma conta bancária comercial para ter todas as suas receitas e despesas no mesmo local. Normalmente, as contas comerciais ou corporativas são gratuitas ou têm requisitos de manutenção acessíveis que permitem que você não pague uma taxa mensal. 

Você deve mostrar seu número de Seguro Social, Passaporte, ID do funcionário e Documentos de treinamento da LLC. O Bank of America é um dos bancos que não se aplica ao SSN, portanto, você pode abrir uma conta mesmo com um visto de turista.

6) Formas de pagamento

Com a conta comercial, você terá um cartão de débito e, provavelmente, também poderá solicitar um cartão de crédito ou um cartão seguro. 

Se você é novo no país, não possui um histórico de crédito; portanto, não poderá retirar cartões de crédito, mas o cartão seguro é uma boa opção para gerar histórico de crédito; somente você deve ter o dinheiro economizado ou seguro na conta antes poder gastá-lo, o que limita um pouco suas despesas. Para despesas grandes, você ainda pode usar seu cartão de débito ou talão de cheques (que você pode solicitar no banco a um custo baixo), e eles são geralmente aceitos em todo o país.

7) Registros para pagamento de impostos

Depois de começar a ter sua primeira despesa para a empresa, você deve registrá-la em um formulário ou sistema ERP, como o Quick Books. Não importa que você ainda não tenha uma renda, seu início nasce com sua primeira despesa. 

Quanto mais despesas você registrar, mais terá que deduzir dos seus ganhos e pagará menos impostos. Pagar impostos nos Estados Unidos é uma das obrigações mais respeitadas pelos americanos, portanto, evasão não é comum. Todas as receitas e despesas são registradas e relatadas pelo estado. Em geral, a abertura de uma LLC ou S Corp pode pagar aproximadamente 30% dos impostos sobre a receita líquida de despesas, mas a% depende do volume de receita e do tipo de empresa.

8) Seguro

Se você é um empreendedor, provavelmente tem uma aversão a baixo risco, porque se sente à vontade para fazer o que acha melhor, seu limite é o paraíso! Mas isso não significa que você não deve ser protegido. O pagamento de impostos, contratos legais e seguros são seus escudos de proteção. Você deve pensar em seguros para sua empresa da mesma maneira que pensa em seu carro, seu carro ou sua casa. Os mais comuns que você deve ter são responsabilidade geral, caso seu cliente queira processá-lo porque não estava satisfeito com seu serviço e remuneração dos trabalhadores, por você ou pelos funcionários / contratados que você envia ao cliente, caso algo aconteça com eles, como um acidente.

9) contratos

Advogados, contadores e planejadores, como nós, devem ser seus aliados para ajudá-lo a fazer com que sua empresa tenha os maiores benefícios desde o início. Um advogado comercial deve ajudá-lo a definir os tipos de contratos que você deve apresentar a todos que trabalham com você. 

Lembre-se, você não está sozinho, uma empresa é composta por seu proprietário, funcionários, contratados, fornecedores, clientes, acionistas. E a melhor proteção é ter um documento onde, para cada um deles, fique claro em preto e branco os direitos e obrigações de você e deles nesse relacionamento comercial. 

Você deve considerar principalmente cláusulas de confidencialidade, não competitividade, reembolso de despesas, seguros, pagamento de impostos, remuneração no caso de contratados ou funcionários. No caso de clientes, você também deve considerar cláusulas de confidencialidade, se necessário (chamadas NDAs ou acordos de não divulgação) e condições de pagamento. Para

10) Marca

Outra questão importante para lidar com um advogado especialista é sobre sua marca. A recomendação é que você registre sua marca até 6 meses antes de operar, mas se isso não for possível, faça o quanto antes, melhor. Isso ocorre porque, se sua marca já estiver registrada por outra empresa e não permitir que você a use, você gastará dinheiro com marcas que não poderá recuperar. Este serviço custa cerca de 1000 dólares, depende da criatividade da sua marca e da semelhança com outras já existentes.

2 DICAS DE BÔNUS

11) Certificações

esta etapa não é obrigatória, mas altamente recomendada, e é isso que você procura para certificar sua empresa para obter maiores benefícios e reconhecimento. 

As certificações mais comuns estão no BBB (Better Business Bureau), você deve ter pelo menos 6 meses de operação ou como minoria (por ser proprietário da empresa em mais de 51% de latino, mulher, veterana ou mesmo por ser uma pequenas empresas). Você pode fazer isso no nível federal, estadual ou mesmo municipal ou municipal. Muitas empresas ou governos são obrigados a contratar minorias para 20% de suas compras, para que você tenha a oportunidade de se destacar do resto, mesmo que seja novo no segmento.

12) Plano de negócios:

Por fim, recomendo que, antes de mudar ou iniciar seus negócios no exterior, prepare seu plano de negócios. O plano de negócios é uma declaração escrita sobre os diferentes aspectos do seu negócio (vendas, processo de produção, número de funcionários, marketing, etc.) e como você planeja implementá-lo. Embora muito do que você crie lá, ele possa mudar quando estiver no novo país, ajudará você a organizar as idéias e identificar dúvidas, pontas soltas ou pendentes. Por sua vez, o plano de negócios pode ajudá-lo a obter um visto de negócios (consulte o ponto 1) ou apresentar sua ideia a potenciais investidores.