Cartuchos de impressoras jato de tinta: cuidados específicos

Atualmente, as impressoras jato de tinta são as mais vendidas. Grandes empresas praticam esse comércio, vendendo as impressoras a baixo custo para, depois, exigir valores, muitas vezes, abusivos sobre acessórios e, principalmente, sobre cartuchos novos.

Dessa forma, o mercado de reciclagem de cartuchos para impressoras jato de tinta cresce a cada dia, oferecendo aos usuários nova alternativa de baixo custo.

A principal vantagem de utilizar cartuchos reciclados é uma economia em torno de 50% em relação aos originais. A Dr. Cartucho Praia Grande traz um serviço de alta qualidade e leva a recarga do cartucho da impressora até você.

As impressoras jato de tinta

A impressão jato de tinta é um processo no qual as imagens são formadas em uma mídia receptora (papel, papel fotográfico, plástico, metais, entre outros) por pequenas gotas de tintas matizadas no sistema de cores básicas CMYK (ciano, magenta, amarelo e preto), que são lançadas contra o papel em alta velocidade, formando as várias tonalidades. Na maioria dos modelos atuais, essas tintas estão divididas em dois cartuchos, um com o preto e o outro com as tintas coloridas.

Os cinco tipos de cartuchos

Originais – fabricados pelos próprios fabricantes de impressoras, são novos e caros. Há, basicamente, quatro marcas disponíveis no mercado;

Compatíveis – fabricados por empresas que não são fabricantes de impressoras e tentam copiar, ao máximo, os modelos originais. São novos e custam em média 40% menos que os da marca da impressora;

Recarregados – são cartuchos usados e vazios recarregados por processos manuais (com seringas) ou mecânicos (máquinas). São mais baratos (em torno de 40 a 50%) e não invalidam a garantia do fabricante da impressora, a não ser que o dano seja provocado por problemas com a qualidade do cartucho;

Remanufaturados ou recondicionados – são cartuchos usados e vazios, que passam por um processo de limpeza e, em alguns casos, de troca de peças. Depois recebem a tinta nova, é importante ressaltar que a qualidade final desse tipo de cartucho varia muito, assim como seu preço de mercado;

Falsificados – cartuchos recarregados, de qualidade incerta. Estes, normalmente, são vendidos em embalagens que imitam, ao máximo, as embalagens dos cartuchos originais a fim de confundir os consumidores. Esses cartuchos não são de boa qualidade, podendo causar danos às impressoras.

Recomendações sobre os cartuchos para o usuário final

Além disso, lembre-se de não desligar a máquina diretamente da tomada. Há pessoas que ligam e desligam o equipamento no estabilizador. Faça o que é mais óbvio, utilize o botão de ligar e desligar em vez de tirar e inserir a tomada no estabilizador, certo? Isso, sem dúvidas, vai evitar danos na impressora.

O cartucho não deve permanecer sem uso por um longo período de tempo. O maior problema associado à recarga de cartuchos é o intervalo que este permanece vazio fora da impressora. Quando cessa a tinta presente no cartucho, este deverá ser imediatamente recarregado, pois a tinta restante nos bicos secará, provocando a obstrução do cabeçote de impressão, impedindo, assim, o fluxo de tinta.

Apenas 20 minutos bastam para secar a tinta e, consequentemente, danificar o sistema de cabeças de impressão. Caso não possua a disponibilidade de fazer a recarga imediata do cartucho, envolva-o em uma toalha ou guardanapo úmido, depois lacre o cartucho em um recipiente fechado, por exemplo, sacos plásticos fechados a zíper.

O cartucho deve ser recarregado quando o nível de tinta estiver baixo: para evitar problemas de impressão, faça a recarga do cartucho no primeiro aviso da impressora; a maioria das impressoras do mercado possui esses marcadores. Quando a impressora continua funcionando com um nível muito baixo de tinta, aumenta sua temperatura interna aquecendo e podendo queimar os resistores.

Os cartuchos coloridos possuem também esse funcionamento, mas são compostos de vários reservatórios, por isso precisam de maior atenção, já que a recarga de cada um deles geralmente é feita separadamente.

Os cartuchos são peças frágeis, nunca os deixe cair. Não é recomendável o manuseio das partes metálicas e das cabeças de impressão, sob o risco de causar danos permanentes aos cartuchos.

Nunca utilize em nenhuma impressora, um cartucho que apresente qualquer tipo de vazamento.

Aspectos visuais

Descartar os cartuchos que apresentarem trincas, rachaduras, riscos, com a bolsa interna danificada, máculas aparentes no circuito elétrico;

Verificar se a esfera plástica na tampa do cartucho (para os modelos HP 626 e 629) não foi substituída por pinos, parafusos ou esferas diferentes das originais. Caso o cartucho esteja vazio, balance-o para verificar se a esfera está em seu interior, se estiver, o cartucho deverá ser descartado;

No caso de receber um cartucho que ainda possua tinta em seu interior, este deverá ser esvaziado e lavado;

Verificar se o cabeçote (para cartuchos integrados) não está solto ou danificado, o que inutiliza o seu uso;

Observar marcas de cola, ou trincas e arranhões na tampa, nas laterais e na parte inferior do cartucho;

Verificar se os circuitos e os contatos (placas metálicas na parte inferior do cartucho) não possuem nenhuma espécie de manchas ou indícios de que estejam descolados;

Observar se o cartucho encontra-se com todas as peças necessárias para funcionar normalmente;

Descarte qualquer cartucho que apresentar defeitos aparentes.

Saiba mais a respeito dos serviços acessando o Google.

Falsificação: diferenças externas

A fabricação da embalagem agrega um custo elevado ao produto, custo este pelo qual os falsificadores não estão dispostos a pagar, portanto, estes utilizam materiais mais baratos, que fornecem as primeiras evidências de falsificação:

Papelão de baixa qualidade (mais fino e poroso);

Impressão de menor definição (menos brilho);

Cores fora do padrão;

Ausência de holografia;

Colagem mal feita nas extremidades.

Os cartuchos falsificados guardam uma série de impressões ou evidências. São elas:

Etiquetas: as etiquetas falsificadas são geralmente de vinil ou de papel, com textura, cor, localização e outras diferenças da original;

Fita azul: utilizada para proteger o circuito e, principalmente, o cabeçote de impressão contra o ressecamento de tinta. A fita azul no cartucho falso pode estar descentralizada ou enrugada;

Placa dourada de saída de tinta: quando o cartucho já foi utilizado, esta placa sofre riscos, que são evidentes à visão;

Circuito elétrico: quando o cartucho já foi utilizado, possuirá marcas permanentes nos contatos, como marcas de oxidação no circuito, que são facilmente detectadas;

Tampas de acesso ao reservatório de tinta: quando removidas e recolocadas, apresentam evidências de colagem;

Orifícios de ventilação: alguns modelos, quando falsificados, apresentam alargamento, que podem ser facilmente diagnosticados;

Lacres das entradas de tinta: quando violados apresentam colagem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *