Quais vitaminas e em que quantidades uma pessoa deve receber diariamente?

A vitamina A (axeroftol, retinol) promove a formação de pigmento visual, preserva a visão, ajuda o corpo a combater infecções, participa na regulação da proliferação e crescimento celular e ajuda a manter a pele e as membranas mucosas em um estado normal.

A peculiaridade da vitamina é que ela está contida apenas em produtos de origem animal: óleo de peixe, fígado de porco e bovino, gema de ovo de galinha, manteiga, creme de leite, etc.

Algumas plantas contêm caroteno (provitamina A), que é convertido em vitamina A no fígado e intestinos humanos sob a influência da enzima cartonasse.

A relora é a combinação patenteada de constituintes ativos de plantas, o honokiol e a berberina, com eficácia comprovada na diminuição da ansiedade

Uma quantidade significativa de caroteno é encontrada na cenoura, azeda, pimentão vermelho, espinafre, tomate, alface, abóbora, cebolinha, pêssego, damasco, roseira brava, espinheiro, cinza da montanha, em muitas plantas selvagens, etc.

Um adulto deve receber 1,5 mg de vitamina A e 4,5-5 mg de provitamina A. Deve-se notar que a vitamina A se acumula no corpo humano e pode durar até 2-3 anos.

A vitamina B1 (aneurina, tiamina) promove a absorção de carboidratos, proteínas, gordura e metabolismo de minerais, normaliza a circulação sanguínea, funções do sistema nervoso, secreção de suco gástrico e motilidade gástrica, aumenta as propriedades protetoras do corpo.

A vitamina B1 é encontrada em produtos animais e vegetais: gemas de ovo, carne de porco, fígado, rins, pão integral, farelo, grãos de cereais, batata, tomate, cenoura, repolho, etc.

Não se acumula no corpo, deve ser obtido diariamente com os alimentos. Um adulto deve receber 2-3 mg de vitamina B1 por dia. A necessidade dessa vitamina aumenta com o estresse físico e mental, gravidez e lactação e várias doenças.

Vitamina B2 (ribo- e lactoflavin está envolvida em processos oxidativos durante o metabolismo de hidratos de carbono, contribui para a normalização dos processos de crescimento nos tecidos do corpo.

Contido em ervilhas verdes, feijões, brotos de trigo e centeio, amêndoas, avelãs e nozes, muitos vegetais de raiz, carne, rins, fígado, fermento, cogumelos, ovos, queijo, cebola, trigo sarraceno, kombucha, vegetais em conserva, etc. …

Qual a necessidade diária?

A necessidade diária é de 2,5-3,5 mg.

A vitamina B6 (cloridrato de piridoxina) é uma parte das enzimas que promovem o metabolismo de proteínas e gorduras, hematopoese, melhora a função hepática, aumenta a resistência do corpo.

Contido em trigo, painço, cevada, milho, farinha integral, trigo sarraceno, painço, fermento de cerveja, carne, fígado, peixe, muitos vegetais e frutas. Pode se formar no intestino humano sob a influência da flora bacteriana.

Para um adulto, a necessidade diária é de 1,5-3 mg.

A vitamina B12 (cianocobalamina) está envolvida no metabolismo de proteínas e gorduras, melhora a formação do sangue e a captação de oxigênio pelos tecidos e ajuda a normalizar as funções do sistema nervoso central.

Encontrado principalmente em produtos de origem animal, no corpo humano acumula-se no fígado.

A necessidade diária é de 3 mg.

A vitamina B15 (ácido pangâmico) promove a troca de oxigênio nas células e a regeneração do tecido hepático, normaliza o funcionamento das glândulas suprarrenais.

Contido nos núcleos dos frutos de caroço, sementes germinadas e rebentos de muitas plantas.

A necessidade diária é de 2-3 mg. Com certas doenças, a necessidade de vitaminas aumenta.

A vitamina B9 (ácido fólico, folacina) promove o crescimento e o desenvolvimento do corpo, a formação de proteínas, estimula a hematopoese na medula óssea e reduz a possibilidade de aterosclerose.

Encontrado em produtos de origem animal e vegetal, mas em pequenas quantidades e de forma inativa (no intestino é decomposto e depois absorvido). O ácido fólico sob a influência de bactérias intestinais pode ser sintetizado no intestino humano. Em certas doenças do intestino, não ocorre a divisão e absorção do ácido fólico, sua deficiência ocorre no corpo, o que pode levar à anemia macrocítica.

A vitamina C (ácido ascórbico) regula os processos redox e aumenta a vitalidade do corpo, a resistência a infecções, melhora a permeabilidade das paredes dos capilares dos vasos sanguíneos e a coagulação do sangue, restauração do tecido ósseo, reduz o risco de desenvolver esclerose, etc. Esta vitamina não é formada no corpo, mas é consumida continuamente, portanto a necessidade diária de um adulto é de até 100 mg.

Pode ser encontrada principalmente em vegetais, frutas, bagas, agulhas e muitas plantas silvestres.

A vitamina E (tocoferol) ajuda a regular os processos de reprodução, metabolismo de proteínas, gorduras e carboidratos.

Contido em óleos vegetais, feijão verde, ervilha, milho, trigo, aveia, roseira brava, etc.

A necessidade diária é de 20-30 mg. Pode se acumular no tecido adiposo.

A vitamina K (filoquinonas) promove a coagulação do sangue, participa da formação de protrombina no fígado, afeta o metabolismo e melhora a atividade do trato gastrointestinal, aumenta a resistência das paredes dos capilares sanguíneos, tem efeito antibacteriano e ajuda a reduzir a dor.

Encontrado em muitos vegetais, legumes, grãos, frutas vermelhas e plantas silvestres.

A vitamina PP (ácido nicotínico, niacina) contribui para a normalização do metabolismo e para a diminuição da quantidade de colesterol no sangue, está incluída nas enzimas envolvidas nos processos oxidativos.

Contido em vegetais, frutas, cereais, legumes, cogumelos e muitas plantas silvestres.

A necessidade diária é de 10-15 mg.

Uma deficiência, assim como um excesso significativo de vitaminas individuais no corpo humano, afeta negativamente a saúde e pode levar a doenças graves. A ingestão oportuna e equilibrada da quantidade necessária de vitaminas contribui para a atividade humana normal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *