Por que a educação financeira é tão importante?

Você sabe cuidar adequadamente das suas finanças? Mesmo que pareça uma tarefa simples, é preciso ter estratégias para garantir uma boa administração.

Com o surgimento dos cartões, sejam eles de débito ou de crédito, muitas pessoas acabaram por se esquecer que é necessário ter bastante controle para saber exatamente qual é o tamanho do seu orçamento.

Há uma série de situações cotidianas que influenciam na gestão da sua carteira, exigindo cuidados antes de sair gastando valores que não estavam previstos.

educacao_financeira

Um exemplo disso pode ser o de uma família que esteja no shopping e, ao visitar uma loja de eletrodomésticos, visualiza uma lava louça compacta que pode trazer benefícios para a rotina do lar.

Sem saber exatamente qual o valor disponível para compra dentro do orçamento familiar, parcela-se o produto de modo rápido, pensando apenas no agora.  

Com a chegada da fatura, pode chegar também o desespero: talvez aquele valor mensal esteja fora do planejado, prejudicando as finanças da casa.

Por isso, é de grande importância que as pessoas saibam a melhor maneira de cuidar do seu dinheiro. Nesse sentido, entra a educação financeira, capaz de criar maior consciência econômica e ajudar na organização do lar.

Sendo assim, se você quer saber mais sobre o tema para não ser surpreendido com as contas extras que não cabem no seu bolso, siga na leitura deste artigo.

A importância da educação financeira

A educação financeira, apesar de ser muitas vezes esquecida, é um assunto de grande importância.

O responsável pela administração monetária, seja ela familiar ou pessoal, precisa ter em vista algumas informações básicas:

  • Quais são os gastos fixos mensais;
  • Qual o valor total de renda da família;
  • Onde é possível economizar;
  • Quais investimentos são realmente necessários;
  • Entre outros fatores.

Ao ordenar as informações acima, é possível ter mais tranquilidade no orçamento e garantir que dívidas sejam evitadas.

A educação financeira atua de modo essencial na vida das pessoas, evitando que débitos indevidos sejam feitos, criando o hábito de não gastar todo o valor recebido e garantindo uma reserva de emergência.

Isso quer dizer que um eletricista comercial, por exemplo, deve conhecer cada elemento envolvido no seu orçamento para saber quais as melhores decisões para se tomar em relação ao seu dinheiro.

Desse modo, além de evitar que o seu salário seja utilizado em compras indevidas, o profissional pode, inclusive, aprender a investir parte do seu pagamento e multiplicar os seus ganhos futuros.

Nesse sentido, a educação financeira é o meio mais eficaz de garantir uma boa gestão do orçamento familiar e, por isso, ela deve ser aplicada dentro da sua casa.

Dicas de educação financeira

Ser educado financeiramente não quer dizer que você não possa recorrer a um serviço de manutenção de geradores de energia quando necessário, mas justamente que você aprenda a escolher a opção ideal para você.

Em outras palavras, é como dizer que o seu dinheiro será utilizado com consciência e sabedoria, sem gerar transtornos que podem comprometer o seu sono.

Sendo assim, para auxiliar na tarefa de organizar as suas finanças, as dicas abaixo podem ser essenciais.

Administre o seu salário

Saber exatamente o quanto você ganha mensalmente é o primeiro passo de uma gestão financeira adequada. Para os funcionários assalariados, essa tarefa é mais simples, já que a quantia costuma ser sempre fixa.

Já no caso de profissionais comissionados, o cuidado deve ser maior. Afinal, o recebimento é sempre variável e, por isso, é preciso administrar as expectativas para não gastar um valor maior do que o extra que foi conquistado.

Para os proprietários de empresas, tal como uma ferramentaria de precisão, é preciso ter ainda mais cautela, justamente porque o valor recebido dependerá dos resultados do negócio.

Ter os números exatos ou aproximados das entradas financeiras do seu orçamento ajuda a alinhar de modo ideal os custos da sua família.

Saiba quais são os seus gastos

Todas as pessoas possuem gastos mensais fixos, indispensáveis para a sobrevivência.

Entre os mais comuns estão as contas de consumo, tais como água e energia elétrica, o aluguel e a alimentação.

Uma possibilidade interessante dentro desse cenário é tentar diminuir o valor das contas, de acordo com a realidade da família.

Isso porque é muito comum acontecer de uma pessoa alugar um apartamento maior do que ela precisaria, gerando custos de manutenção e limpeza e desperdiçando um valor que poderia ser economizado.

Outra dica valiosa econômica é sempre buscar por possíveis vazamentos nos encanamentos e optar pela compra de eletrodomésticos que consumam menor eletricidade.

Diminuir esse tipo de custo mensal impacta de modo considerável nas finanças de uma casa, principalmente quando é possível medir a quantia total economizada dentro de um determinado período, por exemplo.

Pesquise antes de comprar

Pesquisar e pedir orçamentos antes de fechar uma compra é um dos meios mais eficientes de diminuir os gastos extras.

Se você precisa realizar a manutenção do gerador silencioso a diesel da sua casa, é altamente indicado que você busque por diferentes profissionais e solicite para cada um deles uma estimativa do valor para o reparo.

Com isso, você consegue gastar menos, aproveitando o valor extra para aplicar em outras necessidades do seu lar.

Prepare-se para situações inesperadas

Você já ouviu falar em reserva de emergência? Esse é um elemento fundamental da educação financeira, principalmente porque ele consegue evitar que você contraia dívidas altas.

Um profissional que trabalhe em um casting para novelas e receba um bom salário, deve se preocupar em guardar uma parte dele para construir a reserva.

Isso porque o mercado de trabalho pode ser um pouco instável as vezes, principalmente em épocas de crise financeira, de modo que ter um determinado valor guardado pode ser a solução para momentos emergenciais.

Desse modo, você terá sempre uma reserva para ajudar nas situações imprevistas, dispensando empréstimos de banco ou evitando que você utilize o cartão de crédito, que pode resultar em altas multas e juros em caso de inadimplência.

O recomendado é que você possua uma reserva equivalente a seis meses das suas contas fixas, para que em caso de um corte abrupto de renda, você não seja prejudicado financeiramente.

Consiga uma renda extra em casos excepcionais

É muito comum que ocorram momentos imprevistos na vida familiar. Assim como você pode estar ganhando um bom salário atualmente, pode ser que dali a poucos meses ele já não esteja cobrindo todas as suas contas.

Mas é sempre aconselhável recorrer a uma renda extra, como um modo de complementar as entradas monetárias da sua casa.

Para isso, você pode optar pela compra ou locação de uma barraquinha de mini pizza para festa e atuar em eventos variados, de modo a arrecadar uma quantia interessante para o seu orçamento.

Muitas pessoas recorrem aos serviços extras para acelerar a quitação de uma dívida, diminuindo juros e aproveitando para montar a reserva financeira posteriormente.

Invista parte do seu salário

Se antes era comum ver pessoas que separavam uma parte da sua renda para aplicação na poupança, hoje há uma série de alternativas para investimento, que trazem benefícios maiores para o seu bolso.

Se você possui um negócio de bem nascido e quer aproveitar o valor recebido por mês para realizar uma aplicação financeira, você pode estar garantindo uma aposentadoria muito mais confortável.

Isso porque o rendimento de uma aplicação financeira pode oferecer uma boa remuneração, dependendo do tempo de investimento que você deseja realizar.

Há possibilidades para curto, médio e longo prazos, o que vai auxiliar na sua reserva financeira.

Nesse sentido, é essencial conhecer as opções disponíveis no mercado e optar por aquela que faça mais sentido dentro do seu orçamento familiar, para que você consiga se comprometer com a aplicação mensalmente.

Crie metas financeiras

A educação financeira pode auxiliar você a estipular metas e cumprí-las facilmente, bastando para isso ter comprometimento pessoal.

Se antes você fazia altas dívidas para comprar um eletrodoméstico moderno, ou para fazer uma viagem, esse cenário pode ser muito melhor se você estabelecer metas.

Para isso, você deve se comprometer a juntar uma quantia mensal, para que dali a algum tempo você possa adquirir o que desejar.

Nesse caso, você pode optar por conseguir uma renda extra, o que vai ajudar no prazo para completar a meta, ou dividir em pequenas etapas, tornando o cumprimento das fases muito mais fáceis.

O importante é ter foco e garantir que o valor almejado seja atingido no tempo estipulado, criando um hábito econômico e desenvolvendo uma consciência regrada.

Ao seguir as dicas abordadas neste artigo, é possível perceber a importância que a educação financeira pode ter na vida familiar, evitando transtornos e diminuindo prejuízos.

Por isso, você deve priorizar as decisões mais econômicas e garantir assim a saúde das finanças da sua casa. 
Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *